17 e 18 janeiro 2020

Paulo Betti - Autobiografia Autorizada

Cineteatro Municipal

Paulo Betti - Autobiografia Autorizada

Comédia

Autobiografia Autorizada, um monólogo com iluminação, figurino, trilha sonora, cenário e belas projeções, escrito e protagonizado por Paulo Betti. O espetáculo, que marca a comemoração dos 40 anos de carreira de Paulo Betti, foi construído pelo próprio artista, que se inspirou nos textos escritos em grandes blocos durante a adolescência, onde também fazia colagens de fatos da época, e também nos artigos semanais que escreveu durante quase trinta anospara o Jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba, cidade onde foi criado. A peça recebeu unanimidade de críticas, indicação para o prémio Shell de melhor texto em 2015 e foi finalista do Prémio Faz Diferença (O Globo).

A peça é uma amálgama do Brasil profundo, inspirada pela inusitada história de superação de Paulo, que percorre o trajeto riquíssimo da roça à cidade, contando um pouco da imigração italiana no Brasil. Paulo Betti (62 anos) saiu do mundo rural, onde o avô, um imigrante italiano, trabalhava para um fazendeiro negro. Filho de uma camponesa analfabeta, que se mudou para a cidade, mãe de 15 filhos (Paulo é o décimo quinto, com dez anos de diferença do seu irmão mais velho). Apesar do pai ser esquizofrênico, estudou em boas escolas. Formou-se pela Escola de Arte Dramática da USP e foi professor na Unicamp. O testemunho do ator, autor e diretor, que vai representar pai, mãe, avó e muitos outros personagens da própria vida, levará ao público uma peça divertida e emocionante. Lendo as anotações que fez no decorrer de quase uma vida inteira, Betti chegou à conclusão que desde sempre, se preparou para revelar as extraordinárias condições que o levaram a sobreviver e a contar como isso aconteceu. «A minha fixação pela memória da infância e adolescência, passada num ambiente inóspito e ao mesmo tempo poético, talvez mereça ser compartilhada com o intuito de provocar emoção, riso, entretenimento e entendimento», completa Betti. Com humor, poesia e dor, o ator mergulha na vida dos seus pais e avós e emerge com uma peça edificante que reafirma a importância do ensino público e do trabalho social para a valorização do ser humano.

A não perder, nos dias 17 e 18 de janeiro, esxta e sábado, às 21.30h.

Bilhetes à venda.


Explorar outras categorias