SARA TAVARES

SARA TAVARES

É difícil reconhecer a Sara Tavares que nos foi revelada há mais de 20 anos.

O seu primeiro álbum foi gravado com o coro gospel Shout! O segundo, Mi Ma Bô, propunha uma sonoridade de fusão afropop-soul raramente tentada em Portugal, que chegaria ao Disco de Ouro. Ambos foram passos de gigante em direção a uma sonoridade pessoal e intransmissível, onde as suas raízes cabo-verdianas, o seu amor pela soul e a sua facilidade com uma melodia contribuem para criar uma verdadeira música do mundo. À medida que Sara Tavares viajava, e que as suas experiências enriqueciam a sua música, ela descobria também uma nova simplicidade, uma confiança cada vez maior na sua voz. Balancê, o terceiro álbum, foi ao mesmo tempo a prova de que este talento não estava disposto a manter-se fechado em gavetas; o seu verdadeiro cartão de visita internacional, com edição um pouco por todo o mundo; e a confirmação de uma cantora-compositora capaz de fazer a ponte entre África e a Europa com uma sensibilidade única. Tudo reconhecido pelo sucesso comercial (em Portugal, Balancê atingiu o Disco de Platina) e pela aclamação da crítica (Sara Tavares foi nomeada como Artista Revelação para os prémios BBC de World Music em 2007). Mas todas as viagens implicam também um regresso a casa para descansar, recuperar energias e decidir o próximo destino. É exatamente a esse regresso que Sara Tavares nos convida com Xinti: descobrir estas 14 canções é descobrir o modo como o seu talento cresce com cada nova viagem. Em 2011 Sara Tavares vence o prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards; colabora em estúdio com vários artistas, nomeadamente os Buraka Som Sistema; e partilha experiências e o palco com Nelly Furtado e Joss Stone em festivais de Verão. 2015 foi um ano de colaborações em disco e ao vivo: Carlão, António Chaínho, Ferro Gaita, entre outros, e em 2016 lança o single de avanço do seu novo disco, Coisas Bunitas. 2017 é o ano do regresso de Sara Tavares às edições discográficas. Fitxadu (Fechado em crioulo de Cabo Verde) é o nome do quinto trabalho de originais, onde partilhou a produção musical e composição das suas canções, na companhia de nomes como Kalaf Epalanga, Toty Sa’Med, Manecas Costa, Bilan, Princezito, Nancy Vieira ou Paulo Flores, entre muitos outros. Aqui encontramos Ginga um tema há muito esperado em disco, ou Brincar de Casamento, que nasce da colaboração com Toty Sa’Med e Kalaf Epalanga, na autoria e composição.


Explorar outras categorias